26 fevereiro, 2008

A Arte de fazer Cocó

Hoje venho falar sobre um tema que perturba muitas mentes (e músculos), que nos fazem temer muitas vezes as nossas idas à casa de banho, seja ela pública ou privada.

São raras as pessoas que conseguem concentrar-se nas casas de banho públicas, o que revela um aparente problema: prisão de ventre. Aparente porque o facto de evitar ir á casa de banho pública “fecar” (ou pecar) permite caminhar para a perfeição desta Arte.

A quem é que nunca aconteceu, ficar um tempo infindável à espera e no fim bater com a porta do WC frustrado por não ter conseguido evacuar?

O segredo está em aguentar um pouco mais a maldita cólica que nos faz ranger os dentes e ir exercitando os músculos anais de modo a poder um dia controlá-los na perfeição. Mas não é tão fácil quanto parece, em terreno gaseificado temos de estar em constante alerta. Para isso aqui vai um pequeno truque: quando o cheiro se torna intenso estamos na zona de perigo. A zona de perigo situa-se entre a zona do molhado (parte líquida do sólido fecal) e a zona da satisfação (tudo cá fora). É precisamente esta zona de perigo que nos diz para irmos revirar os olhos de alívio no WC.

A prática leva à perfeição e se seguirem aquilo que acima dactilografei, em breve os vossos músculos, envolvidos na cavidade anal, aprenderão a enviar uma resposta automática ao vosso cérebro de que o “Mr. Brown” está à espreita. E talvez, quem sabe, possam fazer o mesmo que Tom Cruise e Katie Holmes que fizeram uma escultura em bronze do primeiro cocó da sua filha comum Suri Cruises para leilão. Porque não?! 



Dica do dia:
Para os mais tímidos, não pensem que contrair os tímpanos vai fazer com que os outros deixem de ouvir o som de um tijolo a cair num lago. O melhor que têm a fazer é retirar um pouco de papel higiénico (três voltas à mão, mínimo) e colocá-lo de maneira a que fique intocável da água e voilá…tímpanos relaxados e zero pessoas a tentarem perceber de onde vem o barulho.

Como o Cristiano Ronaldo, também eu “tenho um coração grande, gosto de ajudar os meus amigos e quem precisa”, por isso elaborei esta breve tese para ajudar todos os ânus (de) quem precisa.

3 comentários:

Mandrágora disse...

Também quero uma escultura dessas...quanto vale essa merda?

:P

Hellcome back!

Anónimo disse...

A arte de mandar um bom faxe grande e cheio de proteinas pelo o cano abaixo e sempre uma sensacao de vitoria e alegria, o problema as vezes nao e prisao de ventre mas quando o grosso se agarra ao cabelo do cu ai digamos que ja estas errada quando dizes que e preciso tres voltas a mao e digo mais que nao e brincadeira nenhuma quando pekenos rebeldes secos e pendurados blokeiam o maravilhoso musculo anal. taum a familia ta bem? paul_evolution

D u d a disse...

ò paulo...é verdade...esse pequeno promenor escapou-me, mas 3 voltas à mao de papel higienico é o minimo para abafar o som. Quanto aos "pekenos rebeldes secos e pendurados" isso já nao me acontence, pois foram todos exterminados pelos meus gases ardentes...

A familia vai óptima, e eu tb vou bem...

abraço da duda (ou PUM, como preferires) ^^